Clint Eastwood

Como já registrado neste blog, tenho ido pouco ao cinema e optei pelas cópias piratas vendidas pelo meu amigo Nazareno. Prometi a mim mesmo que minha volta ao cinema, de fato, seria em Inglorius Bastards e pretendo cumprir. Embora reconheça que a falta de tempo é um inimigo feroz.

Já disse aqui neste espaço igualmente que o último filme que assisti no cinema deve ter sido O Exterminador do Futuro 4. Estou ainda mais seletivo quando se trata de ir ao cinema por conta do escorchante preço do ingresso.

Ainda nos tempos de crise adotei uma estratégia: primeiro o pirata, doppo o original. Este caminho está sendo trilhado aqui em casa pelo diretor americano Clint Eastwood. O sujeito, na minha humilde opinião, tem se mostrado um dos mais sensíveis e notáveis do cinema americano nos últimos tempos.

Os entendidos podem discordar, mas vi o premiado Os Imperdoáveis (1992), onde Mr Eastwood assina a direção e se coloca com protagonista da trama e não achei muita coisa. Verdade que assisti a obra há muitos anos e, se apanhar o filme hoje, talvez mude de opinião. Verdade também que western nunca foi um gênero que me atraiu. Mas, em se tratando da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, aquela do Oscar, foi a grande guinada do homem que imortalizou o cruel e implacável Dirty Harry como ator. Imperdoáveis faturou quatro Oscar, incluindo melhor filme e melhor direção.

Mas a virada do diretor para este modesto cinéfilo deu-se no ano seguinte (1993), com o subestimado Um Mundo Perfeito, onde o sequestrador vivido pelo limitado Kevin Costner, se afeiçoa a seu alvo, um menino. A fotografia é paulada e o roteiro bem construído, uma marca dos filmes de Mr Eastwood.

Os mais atentos vão mencionar outros títulos do diretor como As Pontes de Madison, mas penso que em 2003 é que o grande diretor mostrou seu pleno amadurecimento técnico e estilístico. Prova disso é Sobre Meninos e Lobos, onde o diretor trata com muito tato o tema nada delicado da pedofilia, ainda que in passant.

Nova redenção da Academia de Artes e Ciências viria em 2004 com o chocante Menina de Ouro, onde o espectador pensa deparar-se com mais um filme na linha Rocky Balboa, mas cuja reviravolta do roteiro surpreende e comove.

A seguir, num projeto ousado, o diretor convida à reflexão sobre vencedores e vencidos nos longas Cartas de Iwo Jima e em A Conquista da Honra, rodados simultaneamente em 2006. Cartas pude rever ainda no final de semana e chamá-lo de filme supremo ainda é pouco. Mr Eastwood nos apresenta como o ser humano ainda pode ser digno de ser chamado assim, mesmo em meio às atrocidades de um conflito feroz. Mais não direi. Apenas digo que assistam.

E quando se imagina que, do alto de seus de 78 anos, o diretor nada mais teria a oferecer, vem 2008 e ele volta ao tema espinhoso da pedofilia em A Troca. Na película, ele resgata um caso real de um menino desaparecido na Los Angeles da década de 20 e a epopéia empregada pela mãe, vivida por Angelina Jolie, para reencontrá-lo. Mas, além do diretor, por trás das câmeras sempre, na frente delas salta aos olhos a marcante atuação de John Malkovich na pele de um pastor e advogado da mãe coragem. Não direi mais nada para não entregar o final, senão que John Malkovich, este sim, é o cara.

Em seguida veio Gran Torino, onde o ator e diretor Eastwood vive um ex-combatente da Guerra da Coréia que, recém viúvo, vê-se abandonado pelos filhos e cercado por vizinhos de traços orientais no subúrbio de Detroit, a ex-capital americana de fabricação de veículos.

Além de roteiros cuidadosamente selecionados, adquirir os DVDs originais do diretor Clint Eastwood reserva mais surpresas para os fãs, com extras cuidadosamente produzidos para esta mídia. Daí que sua cinematografia só se agiganta, o que consola descrentes da telona como este humilde escriba, acossado que se sente ante as fórmulas repetidas dos blockbusters de ocasião.

Anderson Passos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s