Tirando sangue à facada

Lá no meu trabalho me deram o conforto de ter, pela primeira ou não mais do que segunda vez na vida, um plano de saúde.

Daí que, valendo-me dele, vou encarar uma cirurgia ocular, como já explicado neste blog. No entanto, parece que o tiro começa a sair pela culatra.

Ocorre que, hoje pela manhã (9/12), para fazer os exames de sangue e um eletrocardiograma, apresentei a carteira do convênio despreocupadamente. Alguns minutos se passaram e ouvi da atendente que eu não poderia ser atendido.

– Infelizmente, não atendemos por essa modalidade de convênio.

E comprovei amargamente que o meu convênio não era lá essas coisas. Dado que precisava dos exames para ontem – minha cirurgia ocorrerá dia 14/12 – estufei o peito e perguntei o preço. Nunca tal atrevimento feriu tanto.

– R$ 378.

Devo ter empalidecido ao ouvir aquilo, mas não me restou outra saída. E, de posse de um vital cartão de crédito, marchei bonito na quantia devastadora.

Em minutos, me arrancaram o sangue – quatro tubos mais um incompreensível furo na orelha – e fiz o eletrocardiograma para lá de nervoso.

Agora estou mergulhado em outra busca: achar um cardiologista que me atenda na próxima sexta-feira pela manhã. Liguei em trocentos. E, até agora, nenhum interessado. Pelo jeito vou marchar com mais essa despesa graúda.

Anderson Passos

Anúncios

Um comentário sobre “Tirando sangue à facada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s