Lufada intragável

A oferta de ônibus na região do centro de São Paulo, onde moro, é bastante variada. Mas é preciso ter cuidado com as surpresas. Um passo em falso e seu destino pode mudar radicalmente.

Não bastasse isso há outros desagradáveis inconvenientes. Ontem mesmo apanhei um ônibus aqui em frente com destino à zona oeste, onde poderia fazer a baldeação para o coletivo que finalmente me entregaria próximo ao trabalho.

Eis que um mais vazio se apresentou, fiz sinal, embarquei, cruzei a catraca e fiquei junto a porta de saída com folgas. Um movimento tático perfeito.

Mas não me perguntem como, um gaiato se pendurou bem na minha frente. Camisa de botão de manga curta, bastou o sujeito erguer o braço para um ar podre vir sem escalas na minha cara.

Desesperado, fui para o outro flanco onde uma multidão já se acotovelava.

Foi então que me flagrei que todos fugiam ou tentavam fugir do cheiro exalado pelo sujeito. Todos procuravam inutilmente janelas. No entanto, como o coletivo tinha ar condicionado – desligado ora pois – o jeito era se virar pelo resto da viagem.

Se eu tivesse à mão um desodorante, passava às mãos do sujeito que devia ter tribos e tribos de gnomos mortos sob os braços.

Por sorte, três pontos depois, o “homem pássaro” desceu. Quase aplaudi o gesto aliviado.

Anderson Passos

Anúncios

Um comentário sobre “Lufada intragável

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s