Palhaço fanfarrão

Eu já devo ter escrito aqui sobre o sujeito vestido de palhaço que toma o buzão de carona na Brigadeiro Luiz Antônio distribuindo chicletes e salamaleques.

Se não contei, conto agora remendando que o sujeito, depois de distribuir os doces, conta que o filho está internado no Hospital do Câncer, que ele – o pai – está desempregado e que toda a ajuda é bem-vinda.

A viagem sob os auspícios desse drama tornou-se tão rotineira que ultimamente eu me pego roncando no ônibus enquanto o palhaço, com uma dicção invejável, vende o seu peixe.

E digo vender o peixe porque hoje o cobrador do ônibus soltou essa pérola depois que o palhaço desceu.

– Ontem eu vi esse sujeito bebendo umas geladas num boteco da Maria Paula.

Eu quase me escandalizei. E digo quase porque nunca, jamais, dei pelota ou tostão ao sujeito. Se eu pudesse, lhe dava voz de prisão pelo estelionato.

Anderson Passos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s