Izabella sempre

Recentemente fui convidado a ir numa pauta que, sabia eu de antemão, não renderia o que dela os meus superiores esperavam. Mas vida de empregado é assim, não se escolhem essas coisas e corri para o desafio de fazer brotar a notícia desejada.

Tudo que eu projetava se confirmou: o esgotamento, o empurra-empurra, o tumulto na coletiva e, claro, a pauta não redundou em nada mais importante.

Mas sempre tem um mas. E já na coletiva, tumultuada, ele já dava pistas. A musa, agora global, Izabella Camargo, lá estava, mas que infortúnio, longe da fonte cercada de microfones. Bem, não era hora de sofrimentos e segui em frente.

Já fora do teatro midiático que fora armado, conversava eu com minha colega de pauta quando a Izabella aproximou-se e, sapecando meu nome, em alto e bom som na sua voz radiofônica de silibados e respiração perfeitos, quase desabei de tão feliz.

Abracei-a efusivamente. Ato contínuo ela, com aquela humildade que trouxe e preserva da sua Londrina, no Paraná, agradeceu efusivamente à minha colega pela ajuda na tumultuada coletiva. Infelizmente não pudemos nos despedir devidamente, mas o fizemos via Facebook.

Izabella não sabe, mas salvou o dia.

Anderson Passos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s