O tetra do Fluzão

Não dei uma só palavra sobre o tetra campeonato do Fluminense. Não o fiz apenas porque seria injusta qualquer palavra. Os números que o clube atingiu nesta que já é a melhor campanha da história do Brasileirão em pontos corridos fazem virar poeira opiniões a favor. Quem dirá as em contrário.

Importante agora é falar do futuro. A base do time comprovadamente é boa e, ao que diz o noticiário, o patrocinador está disposto a investir mais e mais na qualificação do time. Já disse aqui que não gosto de Abel Braga, mas do a mão à palmatória e digo que é preciso mantê-lo. É preciso ainda evitar o desmanche do time campeão. Já venderam o ala direito Wallace. Que fique nisso. E que venha mais uma Libertadores no horizonte tricolor.

Anderson Passos

Dia D para o Flu

Esta noite o Fluminense decide a vida na Libertadores 2012.

O roteiro é este: vencer por dois gols de diferença. Um a zero leva à prorrogação e pênaltis, em persistindo o resultado.

Tudo seria fácil não fossem alguns aspectos: primeiro a falta de treinador na casamata tricolor. Abel Braga nada mais é que um mobilizador a beira de cometer desatinos táticos que dão calafrios.

Sem falar que, do outro lado, está um Boca Juniors, que além da tradição, vai a campo com o experiente Riquelme, que vem arrebentando a cada jogo.

Que os deuses do futebol, se existirem, ajudem o Tricolor das Laranjeiras.

PS: o Flu conseguiu a proeza de ser eliminado nos descontos pelo Boca. Se nem assim a diretoria se convencer que Abel Braga não é técnico de futebol, eu admito largar o clube para os leões.

Anderson Passos

Esmola do Abel

O Fluminense teve uma semana passada mágica: venceu por 4×1 a primeira partida da final do Carioca, me surpreendeu ao eliminar o Internacional no meio da semana pela Libertadores – surpreendeu pelo mau futebol dos comandados por Abel Braga – por 2×1 e completou a trinca com o título estadual ao vencer o Botafogo por 1×0.

Mas parece karma ou alguma conspiração: depois de eliminar nas semifinais de 2008, de vencer por 2×1 em plena Bombonera e ser surpreendido no Engenhão, os argentinos do Boca Juniors voltarão a cruzar o caminho do Tricolor das Laranjeiras na Libertadores da América.

Dizem que o raio não cai duas vezes no mesmo lugar e que nessa semana que se inicia o Flu será arrasado em Buenos Aires. Vejamos até onde vai a sorte do tresloucado Abel Braga.

Anderson Passos

O divisor de águas do Flu

O Flu entra numa semana de vida ou de morte na Libertadores da América. O Internacional vai ao Engenhão com o temido D’Alessandro e, se fizer um gol, destrona os planos tricolores de conquistar o torneio continental.

Os 4×1 sobre o Botafogo na primeira partida da final do estadual do Rio de Janeiro, com grande atuação de Fred e Rafael Sóbis no final de semana que se foi, pouco importa.

Afinal, está mais do que na hora do Tricolor das Laranjeiras ganhar a América. Apesar do Abel Braga.

Anderson Passos

Milagre tricolor

Quando acessei a web na noite de ontem (18/4) dei de cara com o 1×0 parcial do Fluminense fora de casa contra os argentinos do Arsenal de Sarandi.

Não fiquei incrédulo nem nada. Ainda me doía a derrota e o salto alto contra os argentinos do Boca Juniors no Engenhão, na semana passada. Preferi o silêncio.

Tempos depois, navego um pouco mais, vejo alguns vídeos no Youtube e volto ao Globo.com e a manchete avassaladora:

– Jogador de linha pega pênalti de Thiago Neves.

Não ousei dizer “deu para os côcos”, mas ameaçava linchar Abel Braga em impropérios, quando este colocou Lanzini e sacou Edinho do time. E eis que Lanzini deu o passe para Rafael Moura fazer o incrível gol da virada.

O Flu é o clube de melhor campanha na Libertadores de 2012. Sorte de campeão? Não ouso dizer. Não enquanto Abel Braga dirigir meu time.

Anderson Passos

Entrega Flu

Já garantido na Libertadores, com direito a estupenda e surpreendente vitória por 4×0 dianto do Figueirense, fora da casa, resta ao Fluminense cumprir um “papel cívico” e ajudar o Vasco a ser campeão brasileiro em 2011.

A ordem é simples: perder para o Vasco na próxima rodada e colocar o cruz-maltino de cara para o título.

E digo isso pelo óbvio ululante: este Flu de Abel Braga não ganha clássicos mesmo. Então, pra que sonhar se os jogadores já fizeram o milagre de levar o clube ao torneio sul-americano em 2012?

Pois que entregue de bandeija e com maçã na boca o clássico da próxima rodada.

Já o jogo diante do Botafogo, na rodada final, deixa estar. O juiz vai dar aquela velha mãozinha para o rubronegro mesmo.

Anderson Passos

O problema é o jockey

Outro dia cravei aqui neste blog que iria abandonar os planos de considerar o Fluminense como aspirante ao título brasileiro. Cheguei ao acinte de cravar minha torcida pelos cruzmaltinos.

Continuo com a tese, apesar da vitória do Tricolor das Laranjeiras por 2×1 diante do Internacional em pleno Beira-Rio.

Tudo porque o Fluminense de 2011 é enganador, no sentido de que consegue uma vitória triunfal e, já na rodada seguinte, é capaz de perder um jogo ganho.

Apesar de o elenco ter ganho o acréscimo de um Rafael Sóbis – que tem feito gols importantes na ausência de Fred – as ousadias ofensivas do senhor Abel Braga são de assustar e não dão segurança ao mais inflamado tricolor.

Vou torcer bem intimamente para que, até a 38ª rodada, o Fluzão me dê motivos suficientes para acreditar no título.

Anderson Passos